Ôlho

Ôlho

, m. Órgão da vista. Vista. Percepção. Claridade. Aquillo que illumina ou esclarece. Orifício circular ou oval. Aro de qualquer ferramenta, como enxada, enxó, martelo, etc., por onde se enfia o cabo. Batoque. Orifício, por onde se extrai o vinho dos tonéis, pipas, etc. Nuvem carregada e negra. Olhal. Ocello. Objecto semelhante ao ôlho humano. Poro. Botão ou rebento das plantas. * Cada um dos pontos, em que as batatas e outros tubérculos grelam. * T. de Alcanena. Porção de qualquer casca, que serviu num tanque de curtimenta. Chul. Orifício do ânus. * Gír. Tostão. * Ôlho de água, ponto donde surge ou rebenta uma nascente de água. * Sorvedoiro marítimo, causado pelo redemoínho da água. Ôlho nu, vista desarmada ou exercida sem auxílio de qualquer instrumento óptico. Ôlho da Providência, a providência divina, o cuidado de Deus pelas suas criaturas. Ôlho vivo, finura, intelligência, percepção fácil. * Loc. adv.A ôlho, o mesmo que a olhos vistos: «…a fazenda dos Pimentas ia perecendo a ôlho.» Camillo, Retr. de Ricard., 11. * Náut.Estar a ôlho, diz-se da âncora, quando o anete apparece á superfície da água. Dar de ôlho, piscar os olhos, para communicar particularmente qualquer ideia. * Têr debaixo de ôlho, não desviar a attenção e o cuidado de. * Trazer de ôlho, vigiar, estar acautelado a respeito de. Cf. Camillo, Enjeitada, 55. * Loc. adv.A ôlho, visivelmente; a olhos vistos: «prosperar a ôlho.» Camillo, Quéda, 10. (2.a ed., 1887). Pregar ôlho, dormir. Loc. fam.Têr lume no ôlho, sêr esperto. Pl. Fam. Luneta; óculos. A ôlhos vistos, claramente, evidentemente. A ôlhos visto, observado perfeitamente. Cf. Figueiredo, Liç. Prát. * Saltar aos ôlhos, sêr evidente, incontestável. (Do lat. oculus)